Laboratório de Escritas

Aconteceu nos meses de novembro e dezembro no Lubienska, com alunos da Educação Especial sob orientação de Luiz Santos que trabalha com fotografia, arte e educação para o olhar.

“É um projeto de ideias provocativas que parte do princípio de que a escrita é o lance, a escrita é a peça, é a arte em que todos podem desenvolver confiantemente, e assim ler e aprender a ler todas as linguagens, entender a do outro pela apropriação e uso da sua. Cada um escrevendo na sua linguagem vai nivelar pela escrita o filósofo e o artesão analfabeto; o poeta letrado e o do verso falado que nunca escreveu com palavras riscadas no papel; quem tem facilidade de aprendizagem e quem demonstra maior dificuldade em aprender. Há muitas maneiras de aproximar os diferentes, pois os afins, no caso de pessoas, se atraem já desde sempre, contrariando a lei da física. Fazê-las conviver é o grande nó a desatar, porque as separações por afinidades econômicas, culturais, raciais, ideológicas estão postas. Merecem, pois, respostas de várias ordens. Escolhi transitar pela ação com arte em educação e imaginei que escrevendo, todos aprenderiam a ler e ocupar melhor os seus vazios.” Luiz Santos