Educação Infantil

Projetos

 

A BRINCADEIRA VAI COMEÇAR!

TURMA: Infantil I e II

PROFESSORAS: Marli Rodrigues e Paulina Januaria

COORDENADORA PEDAGÓGICA: Ana Paula Figueiredo

 

A brincadeira é inerente à aprendizagem da criança. Ao brincar ela usa sua criatividade, imaginação, socialização, coordenação motora, bem como diversas habilidades importantes para o seu desenvolvimento.

O brincar também prepara para futuras atividades e desperta a atenção e concentração, além de estimular a autoestima e consequentemente a autonomia, ajudando a desenvolver relações de confiança consigo mesma e com os outros. Trilhamos alguns caminhos e percebemos que o maior interesse das crianças surgiu quando, nas sextas-feiras, alguns alunos trouxeram de casa, brinquedos como: boneca de pano, pião, bola, bambolê entre outros. Com esse olhar, surgiu a ideia de resgatar brinquedos e brincadeiras vivenciadas em tempos de outrora. A partir daí, proporcionamos às crianças momentos de convivências saudáveis, criativas e construtivas, pois através das brincadeiras e dos brinquedos, a criança atribui sentido ao seu mundo, se apropria de conhecimentos que a ajudarão a agir sobre o meio em que ela se encontra, ampliando também as possibilidades expressivas tanto nas brincadeiras, quanto jogos e demais situações de interação. Reportamos também ao tempo em que era mais valorizada, a construção e reconstrução dos brinquedos. Partindo desse princípio, escolhemos o tema A Brincadeira Vai Começar! Pois temos convicção que os brinquedos tradicionais populares são fontes enriquecedoras enquanto resgate da cultura e prática do lúdico na constituição de grupos nessa relação direta com o outro e o brinquedo. Queríamos com isso também que a família vivenciasse com sua criança as brincadeiras de sua própria infância.

 

 

  

OS SABORES DA MINHA HISTÓRIA

“EU ME IMPORTO”

COM AS MEMÓRIAS CULTURAIS E EMOCIONAIS DA MINHA ORIGEM

TURMA: Infantil III

PROFESSORA: Julianne Tavares

COORDENADORA: Ana Paula Figueiredo

 

O Projeto “OS SABORES DA MINHA HISTÓRIA” teve como ponto de partida a história do livro “A Colcha de Retalhos”, que busca resgatar as lembranças do passado, valorizando a importância da família na vida do indivíduo, visando sensibilizar as crianças da relevância das vivências históricas e culturais que contribuem para a construção da sua identidade, através dos exemplos de vida passados pelos seus familiares. Também objetiva priorizar a utilização do tempo como fonte de riqueza inesgotável para produção de atividades lúdicas e saudáveis. Na contemporaneidade, percebe-se que as pessoas estão agindo automaticamente de modo rápido e prático, sem ao menos terem o trabalho de executarem ações que proporcionem uma melhor qualidade de vida. Algumas pessoas não tem tempo, vontade, ou não aprenderam a praticar funções que os envolvam em um contexto qualitativo para atuarem em um mundo onde há grande necessidade do “AGORA”, “NESSA HORA”, “JÁ!”. Ao ensinar o indivíduo na realização de algumas práticas, porém deixando-os experimentarem sozinhos uma nova ação com autonomia e poder da criatividade, fará com o que cresçam, aprendam e sejam eficazes em suas tomadas de decisões. Isso vale também, para as relações de cuidado e amor com o meio ambiente, trazendo as referencias das famílias como conhecimento das ervas que curam e/ou dão sabor aos pratos de uma culinária, além de sensibilizá-los ao ”plantio saudável” para “o colher saudável”; “utilizar materiais que não agridam a natureza” para “beneficiar o nosso planeta”, deixando claro para as crianças que para existir um mundo melhor devemos nos sentir responsáveis por nossas ações. Seguindo para o fator alimentação, pode-se afirmar com veemência a gravidade que a humanidade protagoniza quanto ao imediatismo da prática das refeições, apelando para alimentos prontos, congelados, embutidos, conservados, fast-foods, tornando parte de uma sociedade doente e carente de saúde. É necessário que desde criança as pessoas entendam o significado da alimentação saudável e pratiquem ações que venham afirmar essa relação de conhecimento e vivência com a sua realidade trazendo um benefício para a sua vida. Ao brincar, cantar ou produzir algo, fará com o que se torne participante da sua história familiar. Essa é uma maneira acessível das crianças fazerem a sua leitura do mundo, esses momentos de diversão possibilitam o desenvolvimento de aspectos físicos, motores e cognitivos, indispensáveis para a saúde e bem estar delas. Valores como companheirismo, autonomia, liderança e solidariedade também estão embutidos em diversas formas dessas ações.

 

 

HORTA: PLANTAR, CUIDAR E SABOREAR

 

TURMA: Infantil V

PROFESSORA: Amanda Lopes

COORDENADORA PEDAGÓGICA: Ana Paula Figueiredo

 

O projeto Horta: plantar, cuidar e saborear, nasceu a partir da observação e constatação de que algumas crianças não se importavam com as plantas da escola. Algumas arrancavam folhas, flores e frutos, sem saber da sua importância para o meio ambiente. Com o incômodo de uns e a falta de consciência de outros, resolvemos refletir no grupo e trazermos as crianças para uma corresponsabilidade.

Um número crescente de educadores tem refletido e, muitas vezes buscado cumprir o importante papel de desenvolver o comprometimento das crianças com o cuidado do ambiente escolar – cuidado do espaço externo e interno da sala ou da escola, cuidado das relações humanas que traduzem respeito e carinho consigo mesmo, com o outro e com o mundo. A reflexão sobre o ambiente que nos cerca e o repensar de responsabilidades e atitudes de cada um de nós, gera processos educativos ricos, contextualizados, significativos para cada um dos grupos envolvidos.

Nesse contexto, o cultivo de hortas escolares pode ser um valioso instrumento educativo. O contato com a terra no preparo dos canteiros e a descoberta de inúmeras formas de vida que ali existem e convivem, o encanto com as sementes que brotam como mágica, a prática diária do cuidado – regar, transplantar, tirar matinhos, observar formigas e exercitar a paciência e a perseverança até que a natureza nos brinde com a transformação de pequenas sementes em hortaliças.

Estas vivências podem transformar pequenos espaços da escola em cantos de muito encanto e aprendizado para todas as idades. Hortas escolares são instrumentos que, dependendo do encaminhamento dado pelo educador, podem abordar diferentes conteúdos curriculares de forma significativa e contextualizada e promover vivências que resgatam valores.